Se inscreve ai, nunca te pedi nada...

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

repentinamente

o peito estupefato,
a mentira contada a si mesmo,
o poema não decifrado,
o verbo que se fez verso
em meio a sinfonia,
a presença terna em sussurro,
o toque leve, músculo contraído
entre notas musicais,
o beijo roubado, o beijo presenteado,
o calor do sorriso e abraços.
O confinamento, a distancia
os cem sonetos de amor,
mil versos de saudades,
os astros como testemunhas,
toda eternidade,
por aquela e outras repetidas
noites.
(E.M)

Nenhum comentário:

Postar um comentário